quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sete brasileiras recebem prêmio por pesquisas científicas

[Na imagem: as sete vencedoras do programa de ciências For Women in Science]


Mesmo desestimulada por quem deveria incentivá-la, como orientadores e professores, a física Leticia Palhares persistiu em seu objetivo e tornou-se uma das ganhadoras do programa For Women in Science, que tem o objetivo de estimular a participação das mulheres nas ciências.

O programa foi criado pela UNESCO em parceria com a L’Oréal e duas vencedoras de edições anteriores receberam o prêmio Nobel em 2009: Ada Yonath e Elizabeth Blackburn.

Essas iniciativas são importantíssimas, pois além dos desafios reais que os estudos apresentam, enfrentamos também a descrença e o desestímulo. Por isso nossas conquistas são sempre incríveis, sempre heroicas.

Esse ano, além de Leticia, seis mulheres receberam o programa uma bolsa-auxílio de 20 mil reais. Parabéns para elas! :)

Leticia Palhares (UERJ)
Área: Física
O que pesquisa: A dinâmica das partículas, seus aceleradores e o que eles provocam
Ana Shirley Ferreira (UFC)
Área: Matemática
O que pesquisa: Verificação da Conjectura de Erdos-Faber-Lóvasz, uma teoria proposta em 1972 e que até hoje nunca foi comprovada
Carolina Horta Andrade (UFG)
Área: Química
O que pesquisa: Descoberta de medicamentos mais eficazes e acessíveis para pacientes com Leishmaniose
Ludhmila Abrahão Hajjar (USP)
Área: Ciências Biomédicas e da Saúde
O que pesquisa: A eficácia do balão intra-aórtico em pacientes de alto risco submetidos a operação cardíaca
Patrícia de Souza Brocardo (UFSC)
Área: Ciências Biomédicas e da Saúde
O que pesquisa: Os benefícios da atividade física em neurônios expostos ao álcool durante a gravidez da mãe
Manuella Pinto Kaster (UFSC)
Área: Ciências Biomédicas e da Saúde
O que pesquisa: Intervenções que melhorem a idenficação e o diagnóstico de transtornos psiquiátricos
Maria Carolina de Oliveira Rodrigues (USP)
Área: Ciências Biomédicas e da Saúde
O que pesquisa: Reação de anticorpos em pacientes com diabetes do tipo 1 tratados com Células Mesenquimais

Nenhum comentário:

Postar um comentário