terça-feira, 7 de julho de 2015

Cash Cayen e sua luta pelo direito de aprender robótica



Cash Cayen foi discriminada por ser menina e não deixou barato!
Participante das oficinas anteriores ministradas pela biblioteca de sua cidade, ela não conseguiu acreditar quando teve sua inscrição negada no curso de robótica.
Ao conversar com a diretora da biblioteca, não conseguiu que a decisão fosse alterada. O diretor chegou a sugerir que ela se inscrevesse numa lista de espera e CASO outras garotas quisesse fazer o curso, abririam uma turma só para garotas.
Ela abriu uma petição online e conseguiu enfim que a decisão fosse alterada e que o curso aceitasse crianças de 9 a 12 anos.
Ela e sua mãe receberam da biblioteca a resposta de que foi tudo um "mal-entendido" (arrãn), e como nós, não acreditaram nesa desculpa esfarrapada.
A petição ainda está no ar, apesar dos pedidos da biblioteca para que Cash a retirasse: https://www.change.org/p/timmins-public-library-allow-girls…
Enquanto a gente luta para que as meninas tenham acesso à todas as áreas de conhecimento, tem biblioteca querendo limitar esse conhecimento aos meninos...
"Caroline Martel, mãe de Cash, disse ao Yahoo! News que a garota está feliz com a vitória, mas ainda inconformada com o teor da resposta da biblioteca.
— Nós estamos felizes que eles abriram para todos, mas isso não foi um mal-entendido. Foi discriminação de gênero — disse Caroline.
Ela contou que a biblioteca está fazendo apenas um “controle de danos” e que a diretora da instituição ligou para sua casa na quarta-feira pedindo para que a petição fosse tirada do ar. Ela recusou. O prefeito da cidade se reunirá com Caroline e Cash na próxima segunda-feira para discutir a questão.
— Nós precisamos mudar como a nossa sociedade pensa, e, enquanto sociedade, precisamos mandar uma mensagem de apoio e encorajamento para nossas meninas — disse a mãe."
Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário